SINTE/SC repudia genocídio de Israel contra Palestinos

Postado em: 6/08/2014

 O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de SC vem a público repudiar todas as ações militares e atos genocidas cometidas pelo exército de Israel contra o povo Palestino.

 

Como representantes dos trabalhadores em educação e ativistas, nossa função é defender antes de tudo o direito à vida especialmente das crianças. Por isso, não podemos ficar calados diante de tantos ataques às escolas e locais de abrigos para civis inocentes.

 

Neste conflito que está sendo considerado um dos mais brutais já praticados por Israel contra o povo palestino, seis escolas da ONU foram atacadas. Os bombardeios a escolas da ONU causaram a morte de civis principalmente de mulheres e crianças, incluindo funcionários das Nações Unidas, que buscavam refúgio para fugir do conflito.

 

Os bombardeios do Exército de Israel em Gaza deixaram 408 crianças mortas e 2.500 feridas, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que calcula em 370 mil o número de menores que necessitam urgentemente de ajuda psicológica.

 

“O número de crianças assassinadas durante a operação militar superou o de crianças mortas durante a operação Chumbo Fundido”, a última ofensiva israelense em Gaza, entre 2008 e 2009, na qual 350 menores morreram, afirmou Pernille Ironside, chefe do Unicef em Gaza.

 

“A ofensiva teve um impacto catastrófico e trágico nas crianças. Se levarmos em conta o que esses números representam para a população de Gaza, é como se tivessem morrido 200 mil crianças nos Estados Unidos”, país que apoia e fornece armas de destruição em massa para Israel”.

 

A situação vivida pelo povo Palestino em Gaza é terrível, pois não há eletricidade e os sistemas de água potável e saneamento não funcionam por isso o perigo de doenças transmissíveis e de diarreia aumenta consideravelmente e pode ser fatal para menores de cinco anos, com isso o aumento de mortes é iminente.

 

Diante do terror visto pelos olhos do mundo, o SINTE declara seu repúdio ao genocídio sem precedentes que Israel vem promovendo contra seres humanos, em sua imensa maioria inocentes. É preciso que estes atos que podem sejam considerados crimes de guerra, que acabem imediatamente e que os responsáveis sejam punidos.