SINTE e SINTESPE fazem reunião de mobilização para greve geral na FCEE

Postado em: 11/04/2017

 

O Coordenador estadual do SINTE/SC Aldoir Kraremer e o Secretário de Comunicação Carlos Lopes Figueiredo do SINTE/SC que representa os trabalhadores do quadro do magistério, juntamente com os dirigentes do SINTESPE que representa os servidores do quadro administrativo, estiveram reunidos com os/as trabalhadores no pátio da Fundação Catarinense de Educação Especial – FCEE na tarde de hoje, 11, para debater e construir as mobilizações rumo a greve geral do dia 28 de abril.

O encontro teve como debate os prejuízos das reformas da previdência, enfatizando a retirada de direitos referente a aposentadoria, extensão da idade mínima, obrigatoriedade de contribuir por 49 anos para obter o benefício integral, sobretudo, o ataque as mulheres que terão a idade aumentada para a aposentadoria em até 15 anos no caso do magistério e o fim da aposentadoria especial da categoria.

Também foi discutida a posição da SED de ignorar a possibilidade de professores/as atuarem em sala de aula com mais de 70 anos de idade, caso passe a reforma. Este posicionamento político da secretaria foi manifestado na última audiência com o SINTE, que ressaltou os desdobramentos e implicações da reforma na vida dos/as trabalhadores/as e na qualidade da educação como um todo.

Sobre a Reforma Trabalhista foi informado que com a flexibilização da Lei, o Estado poderá contratar as pessoas através de CNPJ, ou seja, pessoa jurídica, o que pode acarretar no fim dos concursos públicos.

Outro ponto prioritário do debate foi a organização interna deste setor da categoria, apesar de contarem com a representação de duas entidades, o foco será a unidade nesse momento da conjuntura para derrotar Temer e Colombo, para tanto ficou combinado que cada centro que compõe a instituição fará uma reunião com ata para definir quem será o representante do setor junto à entidade sindical.

Também foi informado que na audiência entre a Fundação e os sindicatos (SINTE/SC e SINTESPE) ficou encaminhado a que os trabalhadores apresentarão um plano de reposição das faltas das últimas assembleias (15 e 28/03) para que os trabalhadores não tenham nenhum tipo de desconto e lançamento das faltas em sua ficha funcional.

Outro ponto polêmico abordado foi que a direção da FCEE não está cedendo local para os trabalhadores/as fazerem suas reuniões, ou seja, perseguição política e prática anti sindical o que é proibido por lei e inclusive em tratados internacionais. Como forma de denúncia deliberou-se a realização de um abaixo assinado em todo campus da Fundação.

Os trabalhadores assumiram o compromisso de construir a mobilização da greve geral dentro da FCEE. Pois entenderam que o momento é de luta de toda classe trabalhadora.

Essa luta é de todxs nós! Contra as Reformas, por nenhum direito a menos!

Greve Geral dia 28/04, faça parte!

17901733_377331879334293_1984494269_o 17901745_377331856000962_322854535_o 17916135_377331766000971_152323239_o (1) 17902700_377331722667642_1910880147_o